Domingo, 3 de Março de 2013
ASSIM VAI O MEU PAÍS

ASSIM VAI O MEU PAÍS

DESTRUIÇÃO DO PAÍS

Por: Lino F. Fraga

Alguns amigos dizem-me que tenho sido excessivamente violento e acintoso, nos meus artigos, sobre o desgoverno do “Eng.” Sócrates.

Discordo e devo dizer que não retiro uma vírgula ao que tenho escrito, por uma simples razão, até hoje nada do que escrevi, é, ou foi, mentira e como na política as verdades são para serem ditas, tudo correcto. Como dizia Antero de Quental em 1865 «O entusiasmo é bom, porque eleva o espírito; mas a crítica é melhor ainda porque o esclarece».

A confirmar que tenho razão, como se isso fosse necessário, são as palavras do Bispo D. Carlos Azevedo, porta-voz da conferência Episcopal Portuguesa, que acusa o governo de mentir, de ludibriar os portugueses, de marketing para captação de votos e de cedências a interesses imediatos.

Os “socialistas” sempre, desde Soares, dizem uma coisa na oposição e fazem o seu contrário quando chegam ao poder. Quem meteu “o socialismo na gaveta”? (Soares).

Quem colocou o País num pântano? (Guterres)

Quem prometeu baixar os impostos e o desemprego e fez o contrário? (Sócrates)

Estes senhores, sempre que vão ao poder, têm destruído Portugal, política, económica e socialmente falando.

Destruíram a economia, a justiça, a saúde, a educação, o direito à vida com a Lei do aborto, o pilar fundamental de qualquer sociedade, que é a família, com uma malfadada Lei do divórcio e agora é uma hostil e desenfreada campanha contra a Igreja Católica.

Quando os portugueses deram a maioria ao PS, pensaram que iam melhorar em relação ao governo de Santana Lopes, passados mais de três anos o que melhorou? Nada!

Os serviços públicos mais caros, o desemprego a aumentar, mais listas de espera nos hospitais, os medicamentos menos comparticipados, o custo de vida cada vez mais caro, nomeadamente os bens essenciais como o pão, leite, arroz, farinha, a água, etc.

Todavia, os salários e as pensões, não acompanham a inflação e os portugueses cada vez estão mais pobres, aliás, somos os mais pobres da Europa dos 15 e na cauda dos 27.

Foi para isto que os portugueses votaram no PS e em Sócrates? É óbvio que não!

A única coisa que Sócrates fez, foi a redução do défice, mas fê-lo à custa da subida dos impostos dos contribuintes e não diminuindo a despesa pública como seria óbvio.

Eu fui criado a ouvir dizer que Salazar tinha os cofres do Estado cheios de OURO. Até talvez era verdade, mas o certo é que a população vivia quase na miséria. Também agora não interessa aos portugueses o défice ser mais baixo se vivem pior, muito pior.

O que se passou na Escola Carolina Michaellis, a insegurança cada vez maior no país e a evasão de uma esquadra da PSP em Odivelas são exemplos, flagrantes, do estado de decadência acelerada em que se encontra a sociedade portuguesa.

Até quando vamos suportar este estado de coisas?

Será que somos mais apatetados que os restantes europeus?

 

P.S.: Estou estupefacto com a notícia da morte, súbita, do meu amigo Pedro Fraga Nunes. Não encontro neste momento palavras adequadas para me exprimir, apenas me ocorre enviar as minhas sentidas condolências à família enlutada.

Pedro, Deus já te tem, lá encima, no Céu, junto da tua Aurora.

Perdi um bom amigo de longa data. Paz à tua alma.



publicado por LFF às 22:31
link do post | comentar | favorito

OLHAR REALISTA SOBRE A VISITA DO GOVERNO AO CORVO

ASSIM VAI O MEU PAÍS

MEDIOCRIDADE CONFRANGEDORA

Por: Lino de Freitas Fraga

Como escrevi há dias, num espaço do semanário o “SOL”, o “discurso” de Sócrates, nas comemorações dos três anos de governação socialista, foi de uma mediocridade confrangedora. Foi Sócrates presidente do PS, a elogiar Sócrates primeiro-ministro. Que vergonha, fez-me lembrar a rábula da falecida actriz, Ivone Silva, “a Olívia patroa e a Olívia criada”.

A seguir, foi uma entrevista à SIC. Aqui a mediocridade, alastrou-se aos entrevistadores que tinham medo de fazer as perguntas, mesmo estando estas combinadas e autorizadas por Sócrates. Que tristeza, mas não foi por acaso, que a esposa de um dos entrevistadores, dias depois, foi nomeada assessora do ministro da saúde.

Depois, foi um debate no parlamento, que confirmou em absoluto, a ideia que sempre tive sobre Sócrates, que não passa de um produto, plástico, de baixíssima qualidade, fabricado por alguma comunicação social com complexos de esquerda. A imagem de Sócrates de homem competente, decidido, etc, esfumou-se e não passa de uma autêntica, jactância e apparatchik.

A contestação ao desgoverno aumenta cada dia que passa, com o ponto alto na marcha dos professores em Lisboa, só espero, que esta, seja o princípio de um verdadeiro levantamento popular para correr com estes crápulas e déspotas do poder.

A quem o contesta, Sócrates manda, cobardemente, a GNR agredir trabalhadores e a PSP identificar e intimidar, aqueles que falam para a comunicação social. Voltamos aos tempos, de triste memória, da PIDE de Salazar, aliás, Sócrates é pior, muito pior, que Salazar, pelo menos este assumia que governava em ditadura, Sócrates, usa os mesmos métodos, mas encapotado de democrata e de socialista.

Como escreveu Eça de Queiroz em 1879, “O Governo não há-de cair - porque não é um edifício. Tem que sair com benzina - porque é uma nódoa”.

 

OLHAR REALISTA SOBRE A VISITA DO GOVERNO AO CORVO

Nas próximas semanas, o Governo visitará o Corvo, depois da peta do 1º. de Abril.

Será uma óptima oportunidade para confrontar o Governo, não com obras megalómanas e de fachada, mas, com problemas reais, que há anos persistem na nossa ilha, tais como:

O desassoreamento e limpeza das lagoas do Caldeirão; Energia eólica cujo a matéria-prima é inesgotável; Nova lixeira em local apropriado; Protecção da orla marítima, desde a Vigia às eiras Rego; Apoio a casais jovens, para a reconstrução de casas na zona antiga, que embora mantendo a arquitectura típica, podem ter todas as comodidades, iguais às novas de raiz, etc, etc.

Todavia, não se pode, nem deve, esperar que seja o Governo a resolver todos os problemas que subsistem na ilha. Nos últimos anos, e, erradamente, criou-se muito essa ideia que são os Governos que tem que resolver tudo, quando muitas vezes é a nós próprios que isso compete. Como dizia o ex-Presidente da América John F. Kennedy, “não perguntes o que o país pode fazer por ti, mas sim o que tu podes fazer pelo teu país”. Todos têm que assumir as suas responsabilidades e cumprir com as suas obrigações, porque se assim for, mais fácil será atingir os objectivos de desenvolvimento desejados por todos e cada um.

Imaginem que os alunos, adultos, que tiraram o 12º. Ano e o proprietário da Residencial Comodoro estavam à espera que fosse o Governo a resolver as suas aspirações? Decerto ainda hoje estavam na mesma. Mas não, o Governo criou as condições e incentivos necessários e suficientes, os interessados deram o seu esforço e trabalho, muito trabalho, e conseguiram realizar os seus objectivos. Estes são exemplos a seguir!

O que os Governos têm que fazer, é criar as condições, para aqueles que querem progredir o possam fazer dando largas à sua imaginação, iniciativa e criatividade.

Pessoalmente, tenho profunda admiração por todos aqueles que, à custa do seu esforço e trabalho, conseguem atingir os seus objectivos. Bem Hajam e como dizia o Professor Moniz Pereira num colóquio em Coimbra sobre desporto de alta competição, "Viver é Trabalhar, Trabalhar é Quase Vencer!"



publicado por LFF às 22:29
link do post | comentar | favorito

SOCORRO SENHOR PRESIDENTE

ASSIM VAI O MEU PAÍS

 

SOCORRO SENHOR PRESIDENTE

Por: Lino de Freitas Fraga

Quando em 2005, o PS ganhou as eleições e formou Governo, as expectativas de muitos portugueses eram que a situação económica e geral, do nosso País, fosse melhorar.

Passados dois anos e oito meses o que é que vemos?

Maternidades, Centros de saúde, urgências, unidades de oncologia, escolas, etc, a fechar, ao contrário do que o governo prometeu.

A justiça, num descalabro total, com o novo Código do Processo Penal, a beneficiar os pedófilos, os corruptos e os grandes crimes económicos. É a Dr. Cândida Almeida, Procuradora Geral da República Adjunta e Directora do DIAP de Lisboa, que afirmou, “… o legislador (Governo e Deputados) não tinham o direito de fazer isto ao País (…)“.

Na economia, cada vez pior, segundo o Dr. Manuel Alegre no debate do Orçamento do Estado, somos o País mais pobre da Europa, dois em cada cinco portugueses vive abaixo de limiar da pobreza e as desigualdades são cada vez maiores.

Pergunto, onde vai o tempo em que o Primeiro-Ministro de Portugal, Professor Cavaco Silva, afirmava que estávamos no Pelotão da frente da UE? E agora?

Agora estamos na cauda da Europa, e, utilizando uma expressão desportiva em ciclismo, prestes a sermos recolhidos pelo carro VASSOURA.

A mentira, institucionalizou-se, faz parte do nosso quotidiano, até o primeiro-ministro, iludiu os legítimos representantes do povo no parlamento, relativamente às Estradas de Portugal, segundo o Bloco de Esquerda comprovado com o Diário da Republica, preto no branco, mentiu.Em qualquer País da EU, um 1º. Ministro que fosse apanhado a mentir, no parlamento, não lhe restava outra alternativa que não fosse demitir-se, mas como vivemos numa “democracia”, do terceiro mundo, ou venezuelana, nada se passou.

É um desgoverno, que só ataca os fracos e indefesos, como os doentes, portadores de deficiência, pensionistas, desempregados, etc. Não é isso que fazem os cobardes? Mas, os grandes grupos económicos, banca, seguradoras e grandes empresas de construção, são intocáveis, destes e dos seus lobbys, o Governo tem medo como o diabo da cruz.

Senhor Presidente da República, de certo V. Exª., não gosta, nem quer ver os portugueses cada vez mais pobres e a viver na miséria. Estes políticos e este desgoverno, já deram provas, inequívocas, que são incapazes de governar, desenvolver e modernizar Portugal e estão colocando o País à beira do colapso total.

Por isso, senhor Presidente, SOCORRO, ACUDA-NOS enquanto é tempo, V. Exª. não pode, nem deve, assobiar para o lado como se nada se passasse, não fosse nada consigo e deixar andar, ponha fim a esta derrocada, demita este Governo, porque se não o fizer, os portugueses já mais o perdoarão e ficará indelevelmente ligado, para sempre, à hecatombe económica para a qual caminha, a passos largos, o nosso País.

 

P.S. - Passam hoje, 01-12-07, 367 anos sobre a Restauração de 1640, onde 40 fidalgos entraram na Paço mataram D. Pedro e prenderam D. Inês de Castro, acabando com o domínio espanhol e restituindo ao povo português a sua independência.

Em 1640 haviam homens com coragem e que amavam a sua Pátria. Infelizmente, é o que falta hoje, de tal forma estamos, que existem, muitos portugueses que desejam ser espanhóis. Porque será?

    “Meu pobre Portugal, hei-de chorar-te” ----   Alexandre Herculano 1838                                       



publicado por LFF às 18:07
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Dezembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


posts recentes

...

...

ASSIM VAI O MEU PAÍS

OLHAR REALISTA SOBRE A VI...

SOCORRO SENHOR PRESIDENTE

SER LIVRE IMPLICA TER COR...

SÓ NOS AÇORES

LEI DA ROLHA "TAMBÉM" NOS...

CRÓNICAS DA MINHA TERRA

HAJA VERGONHA

arquivos

Dezembro 2013

Março 2013

Fevereiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds